Planejando a expatriação

Como obter uma vantagem competitiva

banner2

Em um mundo globalizado, para obter vantagem competitiva, as organizações vêm recorrendo a uma prática sofisticada e complexa de geração de conhecimento: a expatriação de executivos.

Apesar de empresas reconhecerem a importância da adaptação do profissional para o sucesso da expatriação, há uma negligência em relação aos cuidados necessários durante o processo.A falta de planejamento e participação efetiva de empresas pode oferecer diversos riscos como a perda de investimentos e o fracasso de um projeto. No nosso artigo vamos esclarecer como planejar a expatriação de executivos, confira!

CUIDADOS COM O PROCESSO

O primeiro passo para uma organização realizar uma gestão de expatriados eficiente é definir os propósitos da expatriação. Isso implica em desenvolver um projeto claro e conciso, contendo informações como as características da empresa de destino, os contatos existentes, as responsabilidades, quem será o superior hierárquico ou o aquele responsável pelo suporte e avaliação do projeto, os critérios de avaliação e os prazos do projeto.

Quais pontos devem ser definidos:

– Como será a gestão do desempenho e da carreira do expatriado.

– Classificar objetivos ou resultados a atingir com a expatriação.

– Definir condições de regresso para o expatriado, como bônus pelo desempenho no exterior.

A experiência acumulada é de grande importância e deve ser registrada em relatórios. Sucessos e fracassos tem elevado significado didático para organizações e devem ser compartilhados.

  • O Perfil do Expatriado

    Esse profissional deve ser extremamente competente. O expatriado deve ser motivado pelo desejo de conhecer pessoas e culturas diferentes. Além disso, outro ponto crucial é o profissional ter habilidades avançadas de comunicação.

    A falha de comunicação pode gerar graves problemas nesse processo de intercâmbio. Nesse caso, a empresa deve oferecer uma formação antes da expatriação, mesmo se o expatriado domine a língua estrangeira.  A formação cultural também é essencial para facilitar a adaptação do expatriado.

  • Contrato de expatriação

    O contrato de expatriação deve indicar quais são os benefícios da expatriação, ou seja, informações como salário base na empresa de origem, subsídio de refeição, subsídio de habitação, subsídio de telecomunicações, subsídios de viagens, que pode garantir uma viagem de férias e outra de natal, condições e incentivos à agregação familiar, seguro de saúde, subsídio de viatura própria ou motorista, além de prêmios e outras condições especiais, como custos com visto de trabalho, além de outros impostos e obrigações no país.

  • Contrato Internacional

    Outro ponto importante é o contrato de trabalho internacional. Para realizar esse procedimento o profissional do departamento de recursos humanos e o advogado da empresa devem redigir contrato de trabalho internacional ou adenda ao contrato de trabalho/contrato de expatriação que determine claramente o prazo de expatriação e suas condições.

  • Apoio para inserção do expatriado

    Parte grande da preparação do expatriado é feita antes da viagem. Para os destinos comuns de expatriação a empresa pode providenciar informações básicas e oferecer cursos de idioma e aspectos culturais do país de destino, incluindo informações sobre costumes.

No Brasil, a Metropolitan Transports cuida de todo o processo de expatriação de executivos. Portanto, se você ainda tem alguma dúvida ou interesse em saber todos os detalhes sobre esse processo complexo, acesse essa página ou envie a sua dúvida nos comentários desse artigo, estamos prontos para responder suas perguntas!

Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

clear formSubmit